domingo, 28 de abril de 2013

1/2 DA GESTAÇÃO




Aleluiasss!!!! Nossa... estou muito feliz!!!
Agora, meio caminho andado, falta pouco para o meu amorzinho chegar!!!
Ontem queria comemorar com pizza, mas vou deixar p/ quarta-feira que é feriado, pq ontem eu passei o dia descansando, meio gripada (por causa da vacina da gripe, eu acho!) e arrumando as roupinhas do baby, nossa... como é gostoso, pegar as roupinhas e ficar imaginando o bebê, adoreiii, à noite, fui a igreja, tenho muito q agradecer ao meu papaizinho de céu, quem me concedeu essa grandiosa benção!!!
 Eu estou adorando estar grávida, apesar do cansaço, de perder quase todas as roupas, sutiãs, calcinhas, sapatos... é, pés inchados...



As transformações na segunda metade da gravidez


As mudanças no corpo da mulher continuam  com  o  avanço  da gestação.  Nessa etapa, elas são marcadas muito mais pelo crescimento acelerado da barriga do que pelos efeito dos hormônios. E a barriga, por sua vez,  cresce  para  acompanhar  o  bebê, que está cada vez maior.  

Entre o quinto e o sexto mês, a grávida começa a viver uma fase muito agradável. Os enjoos, provavelmente, se tornaram coisa do passado. A barriga despontou,  mas  não  está  enorme  a  ponto  de provocar algum desconforto. 

E o melhor: ela começa a sentir o bebê se mexer pra valer.  Isso lhe dá uma noção concreta de que está carregando uma criança no
ventre e, quando ela se move, é como se a mulher soubesse que tudo está bem. Aliás, é importantíssimo observar: a movimentação do bebê deve ser diária. 

Ele até pode se mexer mais em um dia, menos em outro.  Tende a se movimentar, por exemplo, quando a mulher se alimenta. O fato é que precisa se mexer todo dia. A sensação que a grávida tem desse movimento é que pode mudar. 

Lá no início da gravidez, o bebê parecia um peixinho que, de vez em quando, surgia nadando em sua barriga. A partir do quinto mês, ela começa a perceber joelhos, mãos, cambalhotas...  Essa percepção reforça o vínculo mãe/filho. E, a partir do sétimo mês,  claro,  ela  leva  muitos  chutes,  alguns até bem doloridos. 

Na  reta  final  da  gestação,  o  bebê  já não  faz  movimentos  tão  bruscos  e  às vezes a grávida até estranha,  achando que ele está  se  mexendo menos e que,
por isso, algo está errado: ora, simplesmente ele cresceu e já não há tanto espaço em sua barriga! Só por essa razão o bebê fica menos agitado.


Nessa fase — aliás, desde o sexto mês — ela pode sentir uma vontade frequente de fazer xixi. Isso porque a bexiga está espremida pelo útero grandalhão e, ao menor volume de urina, já parece lotada. Não só ela está no maior aperto: o estômago, o intestino, o diafragma... O útero, a esta altura, começa a comprimir tudo ao seu redor.  

Por isso, a grávida também pode experimentar azia, prisão de ventre e até falta de ar, mesmo  que não  tenha  feito  esforço  algum.  Nesses momentos, para recuperar o fôlego, nada melhor do que se sentar e jogar o corpo para a frente. Assim,  o peso da barriga deixa de  apertar o diafragma,  músculo envolvido  diretamente na respiração, e ela logo se normaliza.


2 comentários:

Thatha disse...

Aiii meio caminho andado né... rsrs
Logo eu chego lá também...

Beijooos

http://esperadomeupresentinho.blogspot.com.br/

Ludmyla Bento disse...

Amiga ta cada dia mais perto hein. É bom ficar imaginando nossos bebes dentro das roupinhas mais ao vivo é melhor vc vai ver. Bjus